fbpx

O ano novo Chinês e a desvalorização da arroba bovina no Brasil

Qual o plano estratégico da China pra comprar carne brasileira barata?

O Ano novo Chinês será comemorado no dia 01 de fevereiro de 2022, é um feriado nacional em que milhões de trabalhadores retornam para suas províncias para comemorar com seus familiares. Estamos falando do maior mercado consumidor do planeta e o Brasil é um mercado fornecedor importantíssimo pois distribui boa parte da carne bovina consumida nesse feriado que saem diretamente das fazendas brasileiras.

Todos os anos, porém, a China precisa colocar um plano estratégico para comprar carne barata para sua população e o Brasil tem uma posição de destaque no fornecimento de carne bovina. Então em meados de agosto e setembro, justamente na entressafra, período mais difícil para o produtor brasileiro, o mercado chinês solta alguma restrição a carne bovina brasileira.

Nesse ano especialmente houve a comprovação de dois casos de vaca louca no Brasil. Os dois casos de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EBB) foram detectados em frigoríficos de Minas Gerais e do Mato Grosso. Segundo o Ministério da Agricultura as amostras que deram positivo foram coletadas de vacas de descarte e com idade avançada. Por se tratarem de casos atípicos da doença – quando é originada dentro do próprio organismo do bovino -, o caso é considerado de menor gravidade e não ameaça o status sanitário do Brasil.

Por coincidência em 31 de janeiro de 2022 encerra o ano do boi de metal, e o que seria melhor para comemorar do que com carne bovina. O brasileiro é um especialista em churrasco e sabemos apreciar bem essa iguaria. Da mesma forma o mercado chinês aprecia nossa carne, até mesmo porque não tem capacidade de produzir na escala necessária para sua população

Contudo, essa desvalorização da arroba brasileira tem criado apreensão principalmente aos pecuaristas, muitos estão desestimulados e estão descartando matrizes aos milhares nos frigoríficos. Isso é preocupante, pois a curto prazo, podemos até ser beneficiados de não ter um aumento no preço da carne bovina nos mesmos moldes que estão ocorrendo nos EUA e Europa, e até mesmo desabastecimento que está ocorrendo no Reino Unido e preocupando bastante o primeiro ministro Boris Johnson do Reino Unido.

Porém meu nobre amigo, no futuro, daqui a um ou dois anos, podemos ter um desabastecimento no mercado interno, esse desestímulo não pode persistir e a postura do pecuarista brasileiro precisa ser proativa, na busca de soluções inteligentes para esse mercado importantíssimo.

O boi gordo brasileiro é com toda a certeza o mais saudável do mundo, grande parte dos confinamentos brasileiros engorda a pasto e com suplementação, e na entressafra a matéria seca utilizada são os silos. Portanto com medidas simples o produtor brasileiro pode vencer mais essa disputa de mercado. O importante para o produtor é se preocupar com a produção, se especializar, visitar outros produtores, conversar com especialistas da Embrapa e Emater. A informação é a arma do pecuarista brasileiro.

Esse ano o mercado chinês, o russo e da Arábia Saudita tiveram restrições a carne brasileira por conta desses casos de vaca louca, mas ano que vêm será da mesma forma, sempre haverá uma forma de desvalorizar a carne brasileira para conseguir comprar um grande volume antecipado mais barato. O Brasil alimenta 1 bilhão e meio de pessoas desse planeta, somos uma potência alimentar importantíssima.

É importante entender essa estratégia de mercado utilizada de criar restrições a carne brasileira pra depois comprar mais barato. Quanto aos milhares de pecuaristas e produtores de todo o país é importante cuidar do seu rebanho, tomar todas as medidas necessárias para cumprir as normas sanitárias, essa deve ser a estratégia. Não fique desestimulado com o que mercado financeiro tem propagado, foque no é importante, foque na produção.