Deputado Vitor Hugo lança primeiro Desafios ao Equilíbrio entre a Preservação Ambiental e Desenvolvimento Econômico: casos do Agronegócio, do Saneamento e da Mineração

Deputado Vitor Hugo celebra realização de Simpósio

Vitor Hugo celebra realização de Simpósio em dia palestras e debates sobre equilíbrio entre preservação do meio ambiente e desenvolvimento econômico

Resultado das discussões será levado como ideia para serem apresentadas na Câmara Federal e nos municípios de Goiás como proposições

O deputado federal Vitor Hugo (PSL-GO) afirmou estar satisfeito com a execução do I Simpósio “Desafios ao Equilíbrio entre a Preservação Ambiental e Desenvolvimento Econômico: casos do Agronegócio, do Saneamento e da Mineração”, promovido por ele, nesta quarta-feira (02), em Goiânia (GO). O parlamentar afirmou que o evento cumpriu o seu papel para com a sociedade e ressaltou que muitas ideias e oportunidades debatidas ao longo do dia serão aproveitadas no futuro.

“Foi tudo muito bom, fiquei muito feliz com todas as palestras e debates proferidos aqui. Aproveito para lançar um desafio a todos: quero que essas discussões virem Projetos de Lei, atividades que vamos trabalhar na Câmara e eu conto então com a ajuda de vocês. Muito obrigado a todos pela presença e vamos em frente”, agradeceu o deputado.

A deputada federal por São Paulo e presidente da Comissão do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável na Câmara, Carla Zambelli (PSL-SP), esteve presente nesse segundo dia de evento e acompanhou as discussões. A parlamentar ressaltou a importância de ouvir as palestras e estar atentos aos profissionais, que são os especialistas em suas áreas.

“Fiz questão de trazer a minha equipe, que faz parte da Comissão do Meio Ambiente, e eles estão atentos a todas as ideias que daqui estão surgindo. Tenho certeza que vamos aproveitar bem essa oportunidade de estar participando deste evento, que daqui vão sair ideias que vão dar melhores condições para o desenvolvimento da Comissão”, afirmou a presidente.

A secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás, Andrea Vulcanis, destacou que o sua pasta passar por algumas dificuldades e que as discussões do simpósio vêm para somar.

“Nosso desafio hoje em Goiás hoje é enorme. Somos apenas 111 analistas ambientais para cuidar de todo o estado, e por isso precisamos nos desdobrar, e mesmo assim nós não nos sentimos desmotivados. Antes, uma licença ambiental demorava cerca de 7 anos para sair, e depois do nosso trabalho, conseguimos reduzir significativamente este prazo. Devido a toda a essa nossa dificuldade, que eu ressalto a importância de eventos como esse, que vai discutir as dificuldades e propor soluções. Com certeza, vai ajudar a todos,” disse a secretária.

Apresentações

O economista Cláudio abriu as palestras do dia, explanando sobre Novo Marco do Saneamento Básico em Goiás.

“Nós temos uma oportunidade em Goiás, que será gerada pelo Novo Marco. Essa ação vai gerar mais de R$ 1 bilhão por ano. Para que as implicações do novo marco do saneamento possa ser sentido nas empresas, refletir em ganhos e bem estar das famílias em Goiás, precisamos de capital privado. A desestatização da Saneago, aqui em Goiás, ao meu ver, se faz extremamente necessário”, opinou o especialista.

Seguindo com a programação, o palestrante Ronaldo Thiebs, também abordou o Novo Marco Regulatório, na questão dos prazos para encerramento dos lixões. Segundo ele, a eficiente gestão dos resíduos sólidos, além de sustentável, pode tentar recursos para os municípios. “Quem ganha são as cidades. A gestão dos lixões, com o seu encerramento, valoriza as regiões, gera recursos para empresas do setor e empregos para as cidades. Quem ganha em qualidade de vida é a população,” afirmou o palestrante.

O engenheiro ambiental Marcos Andrey, palestrou sobre o potencial de geração de biometano no Brasil. “Nós já temos a tecnologia aqui no Brasil para essa produção. É um processo limpo, uma energia nova, que já estamos trabalhando na produção na cidades de São Bento do Sul (SC) e Rio Verde (GO), de maneira pioneira na América Latina. O bio fertilizante é destinado a pequenos produtores, que beneficia diretamente a quem mais precisa” explicou.

O engenheiro e criador da Vorax, tecnologia brasileira que faz redução dos resíduos, Luiz Namura, disse que, hoje, o Brasil já tem equipamento que pode tratar qualquer tipo de resíduo e ressaltou a importância do tratamento adequado. “Se eu não consigo fazer o aproveitamento do resíduo de uma maneira correta, sustentável, eu chamo ele de lixo. O lixo é nada mais que o resíduo não tratado corretamente. O lixo afeta o mundo todo, um problema que cresce todos os dias. Precisamos avançar nesta questão, buscar uma solução constante e definitiva,” avaliou o engenheiro.

O Simpósio, que teve sua abertura na noite do dia 1º e um dia inteiro de palestras nessa quarta-feira (2), foi uma realização do deputado Vitor Hugo, em parceria com a Fecomércio, Secovi Goiás e outras entidades. O evento visou debater os entraves entre a proteção do meio ambiente e a produção e crescimento econômico. As ideias debatidas e as reflexões serão utilizadas em um futuro breve como alternativas para a questão.

* Assessoria de Comunicação do deputado Vitor Hugo (PSL-GO)

Compartilhar isto:

portalentorno

    O seu portal de notícias e entretenimento! Não utilizamos leis de incentivo ou qualquer forma de financiamento com dinheiro público. Para informar qualquer erro ou sugestões para o nosso portal, por favor entre em contato conosco através do email [email protected]