Foto: Divulgação

BOLSONARO: “Endividamento da Petrobrás daria para fazer 60 vezes a transposição do Rio São Francisco”

Os roubos e endividamento nas gestões anteriores, somaram $180 bilhões de dólares, cerca de R$900 bilhões de reais

Em seu discurso, por ocasião do lançamento de sua candidatura a Presidente do Brasil, no Rio de Janeiro, o Presidente Jair Messias Bolsonaro (PSL) relembrou do endividamento da Petrobrás, e disse que o montante daria para fazer 60 transposições do Rio São Francisco.

Trajetória Política

Jair Messias Bolsonaro nasceu em Campinas, em São Paulo, e iniciou sua carreira militar em 1973. Depois, mudou-se para o Rio de Janeiro, em razão do curso da Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende.

Em 1986, Bolsonaro publicou um artigo na revista “Veja” no qual reclamou dos salários dos militares. No ano seguinte, a mesma revista divulgou reportagem na qual afirmava que Bolsonaro e um colega tinham planos de explodir bombas em instalações militares para criar pressão por reajustes de salários. Ao julgar o caso, em 1988, o Superior Tribunal Militar absolveu Bolsonaro.

No mesmo ano, ele decidiu entrar para a política e foi eleito vereador da cidade do Rio de Janeiro. Com isso, o Exército o transferiu para reserva. Anos depois, foi convertido a capitão reformado.

Como deputado federal, Bolsonaro cumpriu sete mandatos. Em 2018, foi eleito presidente, no segundo turno, com quase 57,8 milhões de votos (55,13% do total).

Três filhos dos cinco filhos de Bolsonaro seguiram a carreira política: Carlos, vereador no Rio de Janeiro; Flávio, senador pelo Rio; e Eduardo, deputado federal por São Paulo com a maior votação do país em 2018.

Veja a trajetória do candidato:

  • 1988: Jair Bolsonaro se candidata a vereador da cidade do Rio de Janeiro pelo extinto PDC;
  • 1990: é eleito para o primeiro dos sete mandatos consecutivos como deputado federal. Ao todo, Bolsonaro permaneceu na Câmara por 28 anos eleito por três partidos diferentes (PPR, PPB e PP).
  • 2014: deputado federal mais votado do Rio de Janeiro e o terceiro do país, com 464.572 votos.
  • 2018: deixou o Partido Social Cristão (PSC) e se filiou ao PSL. Em julho do mesmo ano, a sigla anunciou a candidatura de Bolsonaro à presidência.
  • 2018: em 6 de setembro, durante a campanha eleitoral, foi vítima de um atentado e levou uma facada durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).
  • 2018: em outubro, derrotou Fernando Haddad (PT) no segundo turno, com 57,79 milhões de votos e foi eleito presidente.
  • 2019: Após divergências com a cúpula do PSL, Bolsonaro deixou a legenda e anunciou a criação do próprio partido, o Aliança pelo Brasil. No entanto, a iniciativa não alcançou o número necessário de apoiamentos para seguir no TSE.
  • 2020: Bolsonaro cria o Auxílio Emergêncial no valor de R$600,00 para ajuda às famílias por ocasião da crise COVID-19, o valor distribuído pelo auxílio é equivalente a 15 anos do Bolsa Família.
  • 2020: Supremo abriu inquérito para investigar denúncias de que Bolsonaro teria interferido politicamente no trabalho da PF e em inquéritos relacionados a familiares. As acusações foram feitas pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, quando ele deixou o cargo. A Polícia Federal concluiu que Bolsonaro não interferiu na PF.
  • 2020: Presidente Bolsonaro inaugura transposição do Rio São Francisco.
  • 2021: Programa Auxílio Brasil (PAB)  é criado pela Lei nº 14.284, de 29 de dezembro de 2021  e dobra o valor do auxílio do antigo Bolsa
    Família para R$400,00. 
  • 2021: Supremo autorizou abertura de outros inquéritos para investigar Bolsonaro:
  • Inquérito Covaxin: investigação visava a apurar se o presidente prevaricou no caso das supostas irregularidades na negociação da vacina indiana Covaxin. No dia 31 de janeiro de 2022, a PF concluiu que Bolsonaro não cometeu o crime. O relatório foi enviado ao STF. Caso foi arquivado. A vacina nunca chegou a ser comprada.
    Inquérito das Fake News: ministro do STF Alexandre de Moraes incluiu o presidente como investigado no inquérito, aberto em março de 2019, que apura a divulgação de fake news. 
    Inquérito sobre vazamento sigiloso: ministro Alexandre de Moraes abriu inquérito para investigar Bolsonaro pela divulgação de um documento da PF que apurou suposto ataque ao sistema interno do TSE em 2018. A corregedoria da polícia federal concluiu que não havia decretação de sigilo ou segredo de justiça no inquérito sobre o ataque hacker ao Tribunal Superior Eleitoral. 
  • 2022: Bolsonaro se filiou ao PL, e partido lançou a pré-candidatura do presidente à reeleição.
  • 2022: o valor do Auxílio Brasil passa para R$600,00 a partir de Agosto e já está confirmado para 2023.
Compartilhar isto:

portalentorno

    O seu portal de notícias e entretenimento! Não utilizamos leis de incentivo ou qualquer forma de financiamento com dinheiro público. Para informar qualquer erro ou sugestões para o nosso portal, por favor entre em contato conosco através do email [email protected]