quarta-feira, junho 19, 2024
Setor deve movimentar R$ 796,4 bilhões no país até 2026
BusinessUtilidade Pública

Habitação e Selic devem impulsionar construção civil em 2024

Getting your Trinity Audio player ready...

São Paulo, janeiro de 2024 – O PIB do setor de construção deve registrar crescimento entre 1% e 1,5% em 2023, de acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Material de Construção, Maquinismos, Ferragens, Tintas, Louças e Vidros da Grande São Paulo (Sincomavi). Mas, já de olho em 2024, quando retorna com uma edição ampliada, a FEICON consultou o economista da entidade, Jaime Vasconcellos, para entender que fatores devem impactar a indústria em 2024. Segundo o especialista, a taxa Selic e o fortalecimento dos programas habitacionais estão entre os principais.

Com a projeção da instituição, a construção civil fechará o terceiro ano consecutivo em avanço, mesmo que moderado. Em 2022, o aumento foi de 6,9% eem 2021, 9,7%. E o mercado tende a seguir eexpansão. “A perspectiva do setor, da indústria ao varejo, para uma retomada de maior dinâmica de resultados se baseia, principalmente, nos impactos esperados de uma redução contínua da Selic em 2024, na redução já sentida dos níveis de endividamento familiar, além da expectativa de pressões inflacionárias menos substanciais para os próximos anos”, ressalta Jaime.

A indústria do setor, segundo o estudo “Investimento em Infraestrutura e Habitação: Impacto na cadeia produtiva da Construção”, publicado em setembro deste ano, pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), em parceria com o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio de Janeiro (Sinduscon-Rio), a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e o Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada-Infraestrutura (SINICON), movimentará aproximadamente R$ 796,4 bilhões no país até 2026, abrangendo habitação, infraestrutura e demanda por insumos da cadeia produtiva.

Em meio às projeções, os programas habitacionais têm papel fundamental para impulsionar os resultados da construção civil a partir do próximo ano, explica o economista. “O mercado se mostrou apreensivo em 2023 com a demora da vigência das novas regras do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, que só começaram a valer na segunda metade do ano. Considerando a meta do próprio Governo Federal de contratar 2 milhões de novas moradias até 2026, a expectativa é um ritmo melhor do programa ao longo de 2024, podendo, se concretizado, ser um relevante indutor de novos negócios”, acrescenta Vasconcelos.

Sobre o tema, no dia 6 de dezembro, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) realizou a aprovação da projeção do Regime Especial de Tributação (RET) em 1% para residências da Faixa 1 do programa federal de habitação, segundo informaçõeda Agência CBIC. A Faixa 1 contempla a construção de unidades habitacionais subsidiadas para famílias com rendimento mensal bruto de até R$2.640,00, em caso de moradia urbana, e as que possuem renda anual de até R$ 31.680,00 em área rural. 

A proposta, que prevê a inclusão no Projeto de Lei Orçamentária Anual do próximo ano (PLOA) e será encaminhada para votação no Congresso Nacional, está na Lei 14.620 e precisa ser regulamentada pela Receita Federal. Caso aprovada, ela pode impulsionar o setor da construção civil com novos projetos e geração de empregos, conforme destaca a publicação. 

 

Programas habitacionais e redução da Selic devem impulsionar avanço da construção civil em 2024, diz economista

Todo esse panorama de perspectivas e análises do cenário econômico pautaram debates entre especialistas e economistas ao longo do ano passado, incluindo a revisão de projeções. Por exemplo, na edição 2023 da FEICON, referência no setor por reunir marcas e profissionais de todos os elos da indústria, representantes de empresas privadas e poder público, realizada em abril, a CBIC anunciou a revisão da expectativa de desempenho do mercado divulgada no primeiro trimestre, para um resultado mais próximo do previsto para o fechamento do ano, durante a 96ª edição do Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC). Em 2024, o evento voltará a sediar o ENIC, que reunirá gestores públicos e privados para destacar avanços, análises e estimativas de mercado em sua 98ª edição. A FEICON 2024 acontecerá de 2 a 5 de abril, no São Paulo Expo.

Para Ana Paula Pinto, Gerente da FEICON, “além do espaço para debates e avaliações do setor, o evento trará oportunidades de conhecer um panorama de novidades e soluções que estão relacionadas aos projetos habitacionais e também às atuais tendências de engenharia e arquitetura voltadas para otimização de  infraestrutura e melhoria das construçõeem termos de custo-benefício, agilidade, qualidade e menor impacto ambiental, fatores que ganham ainda maior relevância em meio às perspectivas do mercado, com o objetivo de impulsionar negócios e movimentar a economia”, diz.

Informações sobre o evento podem ser encontradas ehttps://www.feicon.com.br/.

Sobre a FEICON
Com 27 edições, a FEICON é o principal evento voltado para os mercados de construção civil e arquitetura na América Latina, reconhecido como o ambiente perfeito para atualização, visão estratégica, inovação e contato direto com os principais players da construção civil e arquitetura. Para mais informações acesse: https://www.feicon.com.br

RX
A RX oferece oportunidades de conexão e construção de negócios para indivíduos, comunidades e organizações. Usamos o poder dos eventos presenciais, combinando dados e produtos digitais para conectar pessoas, oferecendo experiências e oportunidades de negócios por meio de mais de 400 eventos realizados em 22 países e 42 diferentes setores da economia. É uma empresa dedicada em causar impactos positivos na sociedade e está comprometida em criar um ambiente de trabalho
inclusivo para todos.
A RX faz parte da RELX, um provedor global de análises baseadas em informações e ferramentas de decisão para profissionais e clientes corporativos. RX – In the business of building businesses www.rxglobal.com/rx-brazil


RELX
A RELX é uma fornecedora global de ferramentas de análise e decisão baseadas em informações para clientes profissionais e empresariais. A RELX atende clientes em mais de 180 países e possui escritórios em cerca de 40 países. Emprega mais de 35.000 pessoas, mais de 40% das quais estão na América do Norte. As ações da RELX PLC, controladora, são negociadas nas Bolsas de Valores de Londres, Amsterdã e Nova York usando os seguintes símbolos de ticker: Londres: REL; Amsterdã: REN; Nova Iorque: RELX.


*Nota: A capitalização de mercado atual pode ser encontrada em http://www.relx.com/investors

Compartilhar isto:

portalentorno

    O seu portal de notícias e entretenimento! Não utilizamos leis de incentivo ou qualquer forma de financiamento com dinheiro público. Para informar qualquer erro ou sugestões para o nosso portal, por favor entre em contato conosco através do email portalentornodf@gmail.com