Ivan Rejane Fonte Boa Pinto foi candidato a vereador em Belo Horizonte em 2020 | Foto: Reprodução/redes sociais

Moraes manda prender homem que prometeu ‘caçar’ Lula e ministros do STF

Ivan Rejane Forte Boa Pinto foi preso pela Polícia Federal em Belo Horizonte, depois de compartilhar ameaças nas redes sociais

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a prisão temporária de um homem que disse em vídeo nas redes sociais que iria ‘caçar’ Lula (PT) e magistrados da Corte.

Ivan Rejane Forte Boa Pinto, 46 anos, foi preso nesta sexta-feira, 22, em Belo Horizonte, pela Polícia Federal. O preso tentou ser vereador na capital mineira em 2020, com o nome “Ivan Papo Reto”, então pelo PSL, que hoje compõe o União Brasil — mas obteve apenas 189 votos.

Além da prisão, Alexandre de Moraes determinou a busca e apreensão de “armas, munições, computadores, tablets, celulares e outros dispositivos eletrônicos” em poder de Ivan Boa Pinto. O ministro também solicitou que o Twitter, o YouTube e o Facebook bloqueiem os perfis do ex-candidato, além de pedir que o Telegram bloqueie um grupo administrado pelo investigado.

Em um vídeo que circula nas redes sociais, citado na decisão de Moraes, Ivan Boa Pinto afirmou que Lula deveria andar com segurança, porque ele iria “caçar” o ex-presidente e os deputados federais Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Marcelo Freixo (PSB-RJ).

Na mesma gravação, Ivan também diz que vai “caçar” ministros do STF e cita os nomes de Alexandre de Moraes, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Luís Roberto Barroso, Luiz Edson Fachin, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski e Rosa Weber.

“Os fatos apurados revelam que Ivan Rejane Fonte Boa Pinto utiliza suas redes sociais e aplicativos de mensagens para propagar e arregimentar pessoas para seu intento criminoso”, manifestou Moraes, na decisão.

“Garantias individuais não podem ser utilizadas como um verdadeiro escudo protetivo para a prática de atividades ilícitas, tampouco como argumento para afastamento ou diminuição da responsabilidade civil ou penal por atos criminosos, sob pena de desrespeito a um verdadeiro Estado de Direito.”

Fonte: revistaoeste.com

Compartilhar isto:

portalentorno

    O seu portal de notícias e entretenimento! Não utilizamos leis de incentivo ou qualquer forma de financiamento com dinheiro público. Para informar qualquer erro ou sugestões para o nosso portal, por favor entre em contato conosco através do email [email protected]